Ministério do Esporte
Crônica / Artigo - Atividade física

Quantificando o gasto calórico no exercício: parte II



No último artigo para a LivrEsportes, escrevi sobre o gasto calórico no exercício aeróbio em esteira ou campo (pista). Nesse artigo vamos conhecer como calcular o gasto calórico no exercício resistido (musculação), assim como em exercícios em bicicleta. Assim, recomendo a leitura do artigo anterior para perfeita compreensão dos tópicos abordados no presente texto.
   
Incialmente, para o cálculo em bicicleta ergométrica (estacionária) de academia, é necessário que o equipamento tenha a potência expressa em Watts. Alguns modelos de alguns fabricantes vêm com essa característica e, dessa forma, tornam viável o cálculo do gasto calórico. A partir do conhecimento da potência de trabalho em Watts, para o cálculo do gasto calórico, é necessário saber somente o peso corporal do indivíduo. Assim, o cálculo é feito por meio da relação que existe entre o peso corpóreo, a potência em Watts e o equivalente metabólico dessa relação, ou seja, o MET do exercício (ver artigo anterior sobre cálculo do gasto calórico).
   
Caso um indivíduo de 70 Kg esteja pedalando a uma potência de 100 Watts, isso significa cerca de 6,5 METs. A partir daí, o cálculo é feito da mesma forma que uma atividade em esteira no mesmo equivalente metabólico (MET). Normalmente, para indivíduos com pesos corporais entre 60 e 90 Kg, para cada 25 Watts de incremento da potência na bicicleta ergométrica, existe um aumento de aproximadamente 1 MET no esforço, iniciando-se com cerca de 3 METs a uma potência de 25 Watts. Assim, se alguém com 80 Kg estiver pedalando a uma potência de 25 Watts, estará com um equivalente metabólico de cerca de 3 METs e, a cada 25 Watts, aumentará aproximadamente 1 MET durante o exercício. Dessa forma, pode-se proceder ao cálculo do gasto calórico para todas as intensidades na bicicleta ergométrica.
   
Entretanto, caso se esteja pedalando na rua, com uma bicicleta comum, a potência em Watts não poderá ser medida, e o cálculo do gasto calórico será feito por meio da velocidade de pedalada. Assim, partindo-se de uma velocidade de 10 Km/h (pedalando no plano), que representa cerca de 3 a 4 METs, a cada aumento de 2 a 3 Km/h na velocidade, ocorre um aumento de cerca de 1 MET no exercício. Portanto, se um indivíduo estiver pedalando a 20 Km/h, isso equivalerá a algo em torno de 8 a 9 METs, o que, por sua vez, equivale a uma corrida em torno de 8 a 9 Km/h. Para os adeptos do ciclismo nos finais de semana, o cálculo estimado do gasto calórico de sua atividade pode ser feito por meio da velocidade média com que cumpriram o percurso específico, em trilha ou pista.
   
Apesar de nos exercícios de caminhada/corrida e ciclismo o cálculo do gasto calórico ser, de certa forma, simples, quando se trata do exercício resistido (musculação, Pilates, funcional, etc) isso se torna algo extremamente complexo e coberto de incertezas. Tal fato se deve, inicialmente, pelo caráter de precocidade das pesquisas no tocante à análise de gasto calórico no exercício resistido, além de que, nesse tipo de exercício, o conjunto de variáveis de treino é altamente abrangente, o que torna difícil o entendimento do gasto calórico para todas as possibilidades de manipulação dessas variáveis (peso, repetições, métodos, velocidade de execução, tipos de exercícios, grupos musculares grandes e pequenos, etc).
   
Entretanto, algumas tendências têm se apresentado nos estudos até então conduzidos. Em nosso laboratório (www.cefema.com.br) temos observado que, primeiramente, quanto maior o peso a ser levantado, maior o gasto calórico por repetição realizada. Porém, as séries com maior número de repetições e pesos um pouco menores, têm exibido maior gasto calórico total, quando comparadas às séries com maiores pesos e menos repetições. Isso se deve ao fato do trabalho total ser maior nessas séries. Por exemplo, se alguém executa 20 repetições com 50 Kg em um exercício qualquer, terá levantado no total da série (trabalho total), 1.000 Kg, ou seja, 50 Kg multiplicado por 20 repetições. Por outro lado, caso realize 10 repetições com 80 Kg, terá um trabalho total de 800 Kg, gastando assim, menos calorias do que na série com maiores repetições. Isso responde a uma das dúvidas mais frequentes em sala de musculação no tocante ao gasto calórico do exercício. No entanto, não se pode generalizar para o entendimento de que séries com maiores repetições sempre são mais calóricas do que séries com menores repetições e mais pesos, pois o que deve ser levado em consideração é o trabalho total de cada série!!!
   
Alguns estudos têm mostrado gastos calóricos de cerca de 1 Kcal/repetição em exercício Leg-Press e cerca de 0,6 Kcal/repetição no exercício supino reto, com intensidade de 60% 1RM. Com intensidades de 80% 1RM, o gasto fica em torno de 2 Kcal no Leg-Press e 1,2 Kcal no supino reto (Scott, 2006). Em nosso laboratório, temos observado gastos calóricos de aproximadamente 10 a 11 Kcal em séries de 20 repetições de rosca direta com 26 Kg totais; e gastos de 4 a 5 Kcal em séries de 20 repetições com 10 Kg totais. O exercício supino reto promove maior gasto do que a rosca direta, uma vez que possibilita a utilização de um peso maior para o mesmo número de repetições. Particularmente, acredito que ainda estejamos longe da compreensão precisa do gasto calórico em exercício resistido e muitos conhecimentos ainda necessitam ser gerados nesse contexto para que as estimativas de gasto calórico sejam mais confiáveis. No entanto, para o momento, esses são alguns dos poucos referenciais de que dispomos.
   
No próximo artigo, falaremos sobre exercício e emagrecimento. Bom treino a todos!!!

Prof. Cássio Mascarenhas Robert Pires
Graduado em Educação Física (FESC – São Carlos), Pós-graduado em Treinamento Desportivo (UNIMEP  - Piracicaba), Pós-graduado em Ciências do Esporte (UNICAMP – Campinas), Mestre em Ciências Fisiológicas (UFSCar – São Carlos), Docente da UNIARA, UNICEP, Moura Lacerda e Faculdades COC, Docente em cursos de Pós-graduação Lato-sensu em todo o país e Diretor do CEFEMA (Centro de Estudos em Fisiologia do Exercício, Musculação e Avaliação Física – Araraquara, SP).
Contato: cefema2010@hotmail.com / cassiomrp@terra.com.br


Compartilhe:
  • Twitter
  • MySpace
  • Facebook
  • Orkut
  • Digg
  • Delicious
  • Buzz Yahoo
  • Technorati
  • Live
  • Google Bookmark

 Todas as crônicas já publicadas.

publicidade

É necessário o flashplayer para visualizar.

Get Adobe Flash player



Opinião do Leitor

Mariana Manenti - 29/11/2012
Adorei o cálculo de gasto calórico para a bicicleta ergométrica!
Guilherme Borini - 30/07/2013
Muito bom Cássio...Realmente estimar o gasto calórico em um treinamento resistido é bem difícil!!!

 

publicidade

Deixe sua opinião, preencha os campos abaixo:

Nome:

E-mail: (não será divulgado)

Sua opinião:

Digite as letras da imagem na caixa abaixo:





LivrEsportes - Revista Digital de Esportes - Todos os direitos reservados 2009-2010 - Desenvolvido por AP1! Comunicação - Marketing Digital